Alopecia – O que é, tipos e o que causa alopecia

O cabelo sem dúvidas é um dos itens que compõem o visual de extrema importância para a autoestima, seja para a mulher ou para o homem.

E quando os fios começam a cair demasiadamente, este pode ser um sinal de que algo está errado, e descobrir as causas deste problema pode ajudar no controle da queda ou até mesmo na resolução total do mesmo.

Alopecia  Feminina
Alopecia Feminina

De acordo com a SBC (Sociedade Brasileira do Cabelo), mais de 50% das mulheres apresentam algum tipo de problema capilar, sendo que é considerado normal a queda de até 100 fios diários, sendo que quando ultrapassa esta taxa, a atenção deve ser redobrada.

A Dra Gisele Siqueira, médica dermatologista pela USP, explica nesse vídeo um pouco mais detalhado:

 

Procurar um profissional para obter mais informações do couro cabeludo e dos fios é o indicado, pois somente este profissional tema a capacidade de indicar o tratamento correto para o problema em questão.

Alopecia Feminina- o que é?

Contudo, que tal se informar sobre um dos problemas mais comuns que acometem os fios? De acordo com especialistas, a alopecia é a grande parte das queixas de homens e mulheres, sendo este um problema capilar que resulta na perda de grande quantidade de fios, que pode estar relacionada com alterações hormonais, doenças sistêmicas, inflamações ou até mesmo referida com o fator genético. Quando descrita no tipo androgenético, a alopecia também pode ser denominada como calvície.

Além de acometer o couro cabeludo e causar a queda do cabelo, a alopecia também pode acometer outras regiões do corpo, como barba, sobrancelhas, bigode, pernas e entre outras. Para que você consiga compreender melhor como acontece a alopecia, saiba que para crescer e se desenvolver, o cabelo possui um ciclo de vida, o qual é compreendido pelas seguintes fases:

  • Anágena: fase de crescimento que tem a duração de 2 a 8 anos;
  • Catágena: fase de degradação de duração de 2 a 4 semanas;
  • Telógena: fase de repouso com duração de 2 a 4 meses.

Ao longo da fase telógena (repouso) é normal que ocorra a queda dos fios, pois neste período os fios antigos e sem vida são empurrados pelos novos fios que estão em desenvolvimento. Contudo, esta queda pode estar relacionada com fatores individuais, como por exemplo, falta de vitaminas e estresse.

O medicamento atua na base do folículo capilar
Fases do crescimento capilar

Segundo especialistas, a alopecia se manifesta em cerca de 40% em mulheres e em 50% dos homens acima dos 50 anos de idade, sendo que em indivíduos que possuem influência genética, a queda de cabelo pode acontecer ainda no período da adolescência.

Nos homens, o índice é maior devido à relação hormonal, isto é, a testosterona. Devido à fisiologia do hormônio masculino, alguns processos enzimáticos ocorrem causando o afinamento do fio de cabelo, e consequentemente a sua queda. Apesar das mulheres também produzirem o hormônio testosterona, em menor quantidade, elas apresentam importantes variações hormonais, como na gestação e menopausa, o que pode resultar no surgimento da alopecia.

Contudo, apesar do fator hormonal ser a causa mais comum da alopecia, outros fatores, como já citados, podem estar relacionados com o problema, em especial para com o sexo feminino, o uso indevido de produtos químicos.

Desta forma, para que se tenha um tratamento eficaz é de suma importância realizar a identificação da causa da alopecia, a qual acontece por um médico especializado, e posteriormente, com os devidos cuidados, os fios podem voltar a crescer normalmente.

Mas, se o fator responsável pela alopecia for genética, a queda dos fios pode não ser cessada. E para estes casos, como alternativa, o paciente tem a disposição técnicas distintas, como laserterapia, transplante capilar e dentre outros tratamentos modernos.

Causas da Queda Capilar

A alopecia pode ser classificada de acordo com a sua causa, as quais estão descritas no CID-10 através dos específicos códigos, sendo eles: L63 para alopecia areata, L64 para alopecia androgenética e L66 para alopecia cicatricial. A alopecia areata é caracterizada pela perda de cabelo em forma de pequenos círculos, sendo que dependendo do quadro, podem ser acometidas pequenas ou grandes regiões.

É bastante comum as falhas circulares na cabeça
É bastante comum as falhas circulares na cabeça

Em casos severos, pode ocorrer a perda total dos fios, os quais voltam com o tratamento adequado. A queda dos fios acontece devido a uma reação autoimune do organismo, a qual promove a destruição dos folículos capilares, e geralmente pode estar associada a outras doenças, como diabetes, alteração em tireoide, vitiligo, lúpus, rinite e outras.

Alopecia Androgenética

A alopecia androgenética, também conhecida como calvície, devido à fisiologia hormonal, faz com que os fios fiquem mais finos, principalmente na região de trás da cabeça. Com o próprio nome já diz, está relacionada com o fator genético, isto é, hereditário.

Pode acometer homem e mulher, e surge na maioria das vezes na fase adulta.  Já a alopecia cicatricial promove a perda permanente dos fios devido à formação de cicatrizes locais que impedem a regeneração do folículo capilar. Geralmente tem como causa queimaduras químicas e físicas, tratamento quimioterápico e doenças como leishmaniose e tuberculose.

Alopecia masculina
Alopecia masculina

Como já citado, a alopecia pode ser resultante de inúmeros fatores, incluindo:

  • Excesso de vitamina A;
  • Micose no couro cabeludo;
  • Tricotilomania (distúrbio que envolve impulsos recorrentes de retirar pelos do corpo);
  • Menopausa;
  • Herança genética;
  • Má alimentação;
  • Reação hormonal pós-parto;
  • Estresse;
  • Substâncias químicas;
  • Uso de medicamentos;

O diagnóstico da alopecia, independente da sua causa, acontece a partir de uma consulta com médico especialista, neste caso, o dermatologista. Este profissional capacitado realizará uma anamnese completa seguida de um exame clínico, e partir para exames complementares, como tricograma ou dermatoscopia do couro cabeludo.

Desta forma, ao longo do atendimento clínico pode ser colhida uma amostra (fios de cabelo) para realização de análises específicas para finalmente chegar a um diagnóstico preciso, e consequentemente, o tratamento indicado para o tipo de alopecia existente.

O tratamento da alopecia pode variar de acordo com a causa e indivíduo, sendo que além de medicações, algumas técnicas podem contribuir para a volta do desenvolvimento de novos fios, como o microagulhamento, laserterapia, transplante e implante capilar.

Deixe uma resposta

Abrir Chat
1
Precisa de Ajuda?
Se precisar pode me chamar, meu nome é tatiana e estou disponível para te explicar como nosso produto pode te ajudar com queda e crescimento capilar 😀👍