como a calvície feminina costuma ser menos frequente em comparação com a calvície masculina, as mulheres tendem a sofrer menos com a síndrome pós finasterida, mas ainda estão propensas a sentir os efeitos colaterais do medicamento

O que pode causar a queda excessiva de cabelo?

A queda de cabelo é um quadro clínico que representa um dos sintoma de certas doenças e disfunções no nosso organismo. Isso quer dizer que a perda dos fios em excesso não é considerado uma doença, e sim uma condição. No entanto, para que você consiga tratar o problema de uma maneira eficaz e que dê resultados, você precisa saber identificar o que pode estar causando a queda excessiva de cabelo.

Graças a grande preocupação atual das pessoas quanto à perda dos fios, muitos pacientes conseguem seu diagnóstico precoce de problemas que poderiam passar despercebidos, como é o caso da anemia e das disfunções da tireoide.

Com esses diagnósticos mais cedo, a taxa de sucesso do tratamento contra a alopecia tende a aumentar cada vez mais.

Veja a seguir  o que pode causar a queda excessiva de cabelo e como tratar cada caso!

Roupas e Acessórios femininos

O que pode estar causando a queda excessiva de cabelo?

1- Síndrome metabólica

A síndrome metabólica nada mais é do que condições que aumentam o risco do paciente desenvolver doenças cardíacas, diabetes e acidente vascular cerebral como obesidade, hipertensão, e triglicérides alto.

a pressão alta é um exemplo de doença que está associada com a síndrome metabólica
a pressão alta é um exemplo de doença que está associada com a síndrome metabólica

Por lesionar os vasos que irrigam o couro cabeludo, essas doenças acabam contribuindo para uma maior perda de cabelo. Com a falta de sangue na região, os fios ficam sem a nutrição adequada, e tendem a ficar mais quebradiços e caírem.

Além disso, alguns especialistas acreditam que esses distúrbios provoquem uma inflamação crônica que acaba comprometendo a integridade dos cabelos.

2- Cigarro

Além das diversas doenças e condições que podem ser desencadeadas pelo tabagismo, o cigarro também pode contribuir para uma queda excessiva de cabelo. Acredita-se que isso se deve às substâncias tóxicas da droga, que enfraquecem as mechas e levam a uma degeneração dos vasos que abastecem o couro cabeludo.

3- Anemia

A deficiência de ferro é algo que afeta o organismo como um todo, incluindo o cabelo.

A carência do mineral pode levar à queda da concentração de hemoglobina, uma proteína fundamental para o transporte de oxigênio pelo sangue.

Além de não receber oxigênio o suficiente na bulba capilar, os pacientes com anemia ainda ficam com a resistência dos fios afetada.

4- Problemas de intestino

Além do ferro, outros minerais como zinco, potássio e cobre também são necessários para manter a saúde dos fios em dia. Porém, se o aparelho digestivo não estiver saudável e não conseguir absorver todos esses nutrientes, os cabelos podem começar a cair por falta de vitaminas e minerais.

Esse problema é encontrado especialmente em doenças inflamatórias como a doença de Crohn.

a dor abdominal pode estar associada à doença de Crohn, uma condição que tem como sintoma a queda de cabelo
a dor abdominal pode estar associada à doença de Crohn, uma condição que tem como sintoma a queda de cabelo

Além do mais, o processo inflamatório que ocorre dentro do intestino acaba se espalhando para outros regiões e pode afetar a cabeça, aumentando o quadro da queda.

5- Doença renal crônica

Quando os rins param de filtrar o sangue da forma correta, alguns sintomas como dor de cabeça, náuseas, inchaço, câimbras e calvície começam a aparecer. Apesar de não ter uma explicação científica para isso, acredita-se que pacientes com esse quadro sofrem com a queda excessiva de cabelo em decorrência das limitações alimentares causada pelo quadro.

6- Ovário policístico

Sabe-se que altas taxas de testosterona podem favorecer a calvície e aumentar a queda de cabelo, já que hormônios andrógenos possuem esse efeito colateral quando em excesso no nosso organismo.

Em mulheres que sofrem com o distúrbio do ovário policístico, esse hormônio é produzido em excesso, o que desencadeia não somente a perda dos fios, mas também acnes, crescimento de pelos no corpo e ciclo menstrual irregular.

7- Disfunções da tireoide

A tireoide é uma glândula alojada no pescoço responsável por ditar o ritmo de todo o organismo. Dentre eles, os processo de crescimento e renovação capilar. Quando a tireoide está desregulada e passa a produzir os hormônio T3 e T4 de forma elevada, acaba acelerando a reposição celular do couro cabeludo, o que contribui para uma maior perda dos fios.

Porém, a saúde capilar também é afetada nos quadros em que a tireoide produz os hormônios em quantidades mais baixas. Por desacelerar o metabolismo, os fios sofrem uma grande dificuldade em se desenvolverem, o que dificulta o seu crescimento e fortalecimento.

8- Estresse

Você com certeza já ouviu que o estresse é um dos grandes vilões quando o assunto é queda de cabelo. Isso acontece porque durante períodos de estresse muito alto, nosso cérebro fica sempre em estado de alerta e acaba liberando uma substância que contribui para a queda dos fios. Essa substância normalmente afeta os folículos capilares, fazendo-os entrar em repouso e não permitindo que os cabelos continuem a crescer.

o estresse é uma das causas mais recorrentes de perda capilar
o estresse é uma das causas mais recorrentes de perda capilar

Porém, o estresse também pode atingir o sistema imunológico e atacar os folículos, resultando em uma perda excessiva de cabelo.

Algumas condições mais raras como a tricotilomania faz com que pacientes estressados arranquem os próprios cabelos e também outros pelos do corpo como sobrancelhas e cílios. No entanto, esse quadro não é desencadeado apenas pelo estresse, podendo ser causado por tédio, ansiedade, solidão e depressão.

9- Doenças autoimunes

As doenças autoimunes são doenças que agridem as células de defesa do nosso organismo, o que pode resultar em processos inflamatórios que podem acabar machucando o couro cabeludo.

Em condições como o lúpus eritematoso sistêmico, um dos principais sintomas além de danos nas articulações, coração, rins e outros órgãos, é a alopecia.

Veja mais sobre o assunto no vídeo a seguir:

10- Pós-parto

Outra condição bastante recorrente para a queda de cabelo é o pós-parto. Isso porque o estresse durante o parto e as mudanças hormonais nesse período acabam aumentando a perda dos fios, e essa condição pode durar por até 3 meses, tendo início entre os primeiros 3 meses depois do parto.

Algumas mulheres grávidas também notam um aumento da perda dos fios, já que durante a gravidez a mulheres também passa por diversas flutuações hormonais.

Depois de conferir o que pode causar a queda excessiva de cabelo é hora de procurar ajuda médica caso você tenha notado um aumento da perda dos fios ou algum sintoma das doenças listadas acima. Além disso, para ajudar no tratamento do quadro, você pode investir em cosméticos capilares ricos em vitaminas que ajudam no fortalecimento e evitam a queda.