Secador faz o cabelo cair? Mito ou verdade?

Hoje em dia, o secador de cabelo faz parte da rotina de muitas mulheres e alguns homens também. Porém, poucas pessoas tem ideia de como e quando ele foi inventado, e como começou a ser usado.

Este utensílio foi inventado em 1920 por uma empresa americana chamada Racine Universal Motor Company.

Nesta época, o dono dessa empresa assistiu a um comercial de um aspirador de pó e a moça que manuseava esse equipamento, aproveitava o ar quente que soprava para secar os cabelos. A partir disso, ele começou a desenvolver um produto que viria a ser o famoso secador.

Secador em 1920
Secador em 1920

Usando o fundamento do aspirador de pó, ele se utilizou de um motor de liquidificador que tinha disponível na sua própria empresa e montou a sua própria versão. Ele, então, soprava ar quente e conseguia encaixar perfeitamente na expectativa das mulheres, que passaram a utilizar o mesmo na construção de penteados.

Roupas e Acessórios femininos

Obviamente, ainda era um equipamento “desajeitado” e pesado… Aí com o passar dos anos, foram feitas adaptações e melhorias para diminuir o tamanho e peso do SECADOR, para que o seu manuseio fosse ficando cada vez mais fácil e leve.

As primeiras versões eram pesadas- mas muito funcionais para a época
As primeiras versões eram pesadas- mas muito funcionais para a época

Depois desse breve relato do surgimento do SECADOR nas vidas das pessoas, vamos responder a essa pergunta que nos aflige: afinal, secador contribui ou não para a queda de cabelos?

Quando se é feito os processos de limpeza e higienização do couro cabeludo corretamente, eles não fazem mal algum e não provocam a queda ou qualquer outro tipo de malefício para o couro cabeludo- ou para os fios.

Na verdade, as boas práticas contribuem para evitar danos aos fios, raiz e couro cabeludo. Mas o uso frequente e inadequado do secador podem sim vir a contribuir para a queda ou danos ao cabelo em geral.

Qual a diferença entre a queda dos cabelos e a quebra deles?

Com uma haste capilar fraca, a consequência é a quebra dos fios de cabelo. E esse processo pode se dar pelo calor em excesso que o uso incorreto do secador provoca, até ao uso de químicas que contém as tintas e produtos para alisamento que estão disponíveis no mercado atualmente.

Diferença entre queda e quebra
Diferença entre queda e quebra

O resultado visual da quebra de fios pode ser confundido com o da queda de cabelo, pois o fio se parte próximo a raiz, e quando se desprende de sua haste, pode parecer que a pessoa está passando pelo processo de queda- mas no fundo o que ocorre é a quebra do fio.

NESTE CASO A RAIZ NÃO É AFETADA, ENTÃO O QUE GERALMENTE SE FAZ É CORTAR A PARTE AFETADA DOS FIOS, POIS UMA VEZ DANIFICADA ELA NÃO SE RECUPERA.

E além dos fatores mencionados acima, outras coisas podem causar a quebra e até a queda dos fios de cabelo: Parte desde o nosso DNA, como a herança genética, doenças hereditárias, uso de alguns medicamentos para outras enfermidades.

Algumas pessoas têm distúrbios hormonais que causam esse problemas; idade e outros fatores.

Alopécia de Tração pode ocasionar grande queda dos cabelos
Alopécia de Tração pode ocasionar grande queda dos cabelos

Quando algum dos fatores acima entram em ação, diferente do que ocorre na quebra o que vemos é a queda por completa do fio de cabelo. Ele cai desde a raiz, interrompendo então o ciclo de crescimento e nascimento de um novo fio.

Não digo aqui que de forma alguma quando os fios começam a cair, não exista tratamento que possa reverter ou cessar a queda, mas quando se há a predisposição genética ou o dano causado por químicas como citamos acima, a situação fica um pouco mais delicada.

Danos que o secador pode causar aos fios de cabelo

Alteração da cor dos fios de cabelo, ressecamentos dos fios e do couro cabeludo e a sensação de um fio de cabelo mais áspero, são os resultados que o uso frequente e incorreto que o secador pode ocasionar.

Os fios que vierem a quebrar pelo uso excessivo do secador e exposição ao calor muito forte que ele produz, tendem a crescer novamente. Porém, a identificação do ponto do “dano” é essencial para a recuperação, bem como o corte futuro.

O que diz a ciência quanto ao uso de secador?

Estudos científicos publicados por importantes institutos dermatológicos do mundo divulgaram os efeitos do uso do secador no cabelo. Alguns parâmetros foram levados em conta na avaliação dos fios como: formato, estrutura, cor e hidratação realizada nos fios.

  • Cabelos que não continham nenhum tipo de tratamento, nem mesmo eram feitas as higienizações com xampu ou condicionador.
  • Cabelos que eram secados sem o uso de secador, naturalmente com a temperatura de 22ºC
  • Cabelos secos com o uso do secador por 60 segundos e com uma distância de 15cm a uma temperatura aproximada de 48ºC
  • Cabelos secos com o uso do secador por 30 segundos e com uma distância de 10cm a uma temperatura aproximada de 62ºC
  • Cabelos secos com o uso do secador por 15 segundos e com uma distância de 05cm a uma temperatura aproximada de 96ºC

Na primeira opção, o cabelo levou, aproximadamente, duas horas para que secasse por completo, sem o uso de nenhum auxílio, apenas na temperatura ambiente aferida naquele momento.

Como já era esperado, com a exposição ao calor do secador algumas sintomas foram rapidamente detectados pelos especialistas. O aumento dos danos causados pelo secador aumentam conforme a temperatura do secador aumenta.

Após algumas sessões de exposição do fio a 96ºC, pudemos notar uma considerável mudança na cor dos fios, deixando eles mais claros a partir da décima sessão do uso do secador.

Também identificaram a rachadura externa dos fios após a frequente exposição ao choque térmico causado pelo ciclo de molhar o cabelo e depois expô-lo ao forte calor do secador. Lembrando que mesmo com as rachaduras externas encontradas, danos internos ao fio não puderam ser identificados.

Após os vários testes realizados, os especialistas informaram que a maneira que menos agride e causou danos, tanto os fios quanto para o couro cabeludo foi o uso do secador a 15cm de distância.

Como evitar que o Secador de cabelo passe de aliado a inimigo?

Vamos passar abaixo algumas dicas que podem ajudar a diminuir os danos que o secador pode provocar aos fios e couro cabeludo:

  • Após lavar os cabelos ou enxaguar o mesmo, retirar o máximo possível de água com as mãos ou com o auxílio de uma toalha;
  • Sempre que possível, deixe o cabelo secar naturalmente, isso ajuda e muito;
  • Para a modelagem e penteados, espere os cabelos secarem, ou realize o processo com as mãos ou com o auxílio de uma toalha; não realize os processos com o cabelo molhado;
  • Procure sempre usar o secador com a velocidade do ar na potência máxima, e o controle de temperatura na opção “médio”. Assim a temperatura que o ar irá atingir o cabelo será uma que ele pode suportar e não ser danificado.
  • O uso de modeladores e chapinhas, por trabalharem em temperatura altíssimas podem danificar os fios. Evite o uso desse equipamentos no seu cabelo, isso irá manter um fio saudável e duradouro.
  • Sempre faça uma avaliação própria do seu cabelo, com o nosso tato podemos sentir se o cabelo tem pontas queimadas, duplas, quebradiças e etc… Assim podemos saber quando o cabelo está “doente” e realizar o controle e manutenção dos fios. Evitando que chegue a uma situação extrema de queda total do cabelo.

Caso a queda de cabelo ocorra durante o uso do secador, o que devo fazer?

Se usado de forma incorreta e excessiva, o secador pode trazer danos definitivos e irreparáveis ao cabelo. Esses danos, com o passar do tempo, enfraquecem os fios e a raiz, assim favorecendo com que as consequências não sejam as melhores.

Preste a atenção na distância ideal do secador
Preste a atenção na distância ideal do secador

Geralmente, os fios quebrados podem ser confundidos com os fios inteiros, mas quando se desprendem podemos identificar que eles tem vários tamanhos, o que não corresponde ao padrão dos outros.

Um observação bem simples pode ser feita quando se deparar com um fio desses. Observe se em sua extremidade há a presença da raiz para diferenciar a quebra e a queda. Caso ainda haja dúvida, a recomendação é que se procure um médico competente o mais rápido possível.

Esse tipo de problema, quanto mais cedo é identificado, maiores são as chances de sucesso no tratamento e prevenção de aumento do quadro. Por isso não deixe para depois, não deixe nenhuma dúvida se estiver passando por alguma das situações que trouxemos aqui hoje.